DEUS ENTREGA SEU POVO NAS MÃOS DOS SEUS INIMIGOS


  • Primeiro Deus entrega Israel aos assírios por causa da idolatria
  • Judá não aprende a lição e comete os mesmos pecados que Israel - a idolatria
  • Deus entrega Judá nas mãos de Nabucodonosor rei da Babilônia por causa da idolatria
  • Passaram-se dez anos do primeiro cerco de Nabucodonosor até Jerusalém ser incendiada por causa da idolatria
  • Deus afligirá com fogo a Terra por causa da idolatria



Tão somente tende cuidado de guardar com diligência o Mandamento e a Lei que Moisés, o servo do Senhor, vos mandou: que ameis ao Senhor, Vosso Deus, e andeis em todos os seus caminhos, e guardeis os seus Mandamentos, e vos achegueis a ele, e o sirvais com todo o vosso coração e com toda a vossa alma.

(Josué 22v5)


Mas, pelo que toca a mim, estou cheio da força do Espírito do Senhor, da justiça e do vigor, para anunciar a Jacó as suas maldades e a Israel o seu pecado.

(Miquéias 3v8)


Tu, Jacó, não me invocaste, nem tu, Israel fizeste caso de mim.
Não me ofereceste carneiros em holocausto, nem me honraste com sacrifícios; não cobrei de ti um pesado imposto em oblações, nem te sobrecarreguei exigindo incenso.
Não me compraste, à preço alto, cana perfumada, nem me fartaste com gordura das vítimas. Mas me atormentaste com teus pecados, cansaste-me com tuas iniquidades.

(Isaías 43v22-24)


Voltaram então atrás, e tentaram a Deus, e duvidaram do Santo de Israel.
Não se lembraram do poder da sua mão, nem do dia em que os livrou do adversário;
como operou os seus sinais no Egito e as suas maravilhas no campo de Zoã.
Quando converteu seus rios em sangue, a fim de impedi-los de beber suas águas.
Quando enviou moscas para devorá-los e rãs que os infestaram.
Quando entregou suas colheitas aos pulgões, e aos gafanhotos o fruto do seu trabalho.
Quando arrasou suas vinhas com o granizo, e suas figueiras com a geada.
Quando extinguiu seu gado com saraivadas, e seus rebanhos pelos raios.
Quando lançou contra eles o fogo da sua ira: cólera, furor e aflição, anjos portadores de desgraças;
abriu um largo caminho à sua ira, não perdoou as suas vidas, envolveu na mortandade seus animais.
Feriu todo o primogênito na terra do Egito, e as primícias de todo o seu trabalho nas tendas de Cam.
Fez sair o seu povo como ovelhas, e guiou como rebanho no deserto.
Conduziu-os cheios de esperança e não temeram, e sepultou no mar os seus inimigos.
Introduziu-os no monte da sua santificação, monte que adquiriu com sua destra. Expulsou de diante deles as nações e repartiu-lhes por sorte a terra, distribuindo-a com cordas de medir.
Fez habitar em suas tendas as tribos de Israel.
Contudo, tentaram, e provocaram o Deus Altíssimo, e não guardaram os seus testemunhos.
Voltaram-lhe as costas, e não observaram a Aliança, semelhantes a seus pais, falsearam com um arco torcido.
Pois lhe provocaram a ira com os seus altos, e despertaram-lhe o zelo com as suas imagens de escultura.

À vista disso Deus se encolerizou e rejeitou Israel severamente.
Abandonou o santuário de Siló, tabernáculo onde habitara entre os homens.
Entregou ao cativeiro a força deles, e a sua glória nas mãos do inimigo.
Entregou o seu povo à espada, e desprezou a sua própria herança.
Aos seus jovens, consumiu-os o fogo, e as suas donzelas não tiveram festa nupcial.
Seus sacerdotes pereceram à espada, e ninguém chorava as suas viúvas.

(Salmos (77)78v41-64)


Quanto a vós, ó casa de Israel, assim diz o Senhor Jeová: Ide sirva cada um aos seus ídolos, pois que a mim me não quereis ouvir; mas não profaneis mais o Meu Santo Nome com as vossas dádivas e com os vossos ídolos.

(Ezequiel 20v39)


Eu te conheci no deserto, em uma terra muito seca.
Eu os apascentei e eles se saciaram; ficaram saciados. Uma vez fartos, ensoberbeceram-se e se esqueceram de mim.
Serei, pois, para eles como leão; como leopardo, espiarei no caminho.
Como a uma ursa que tiraram os filhotes, investirei contra eles, fecharei o caminho e lhes rasgarei as entranhas. E os devorarei no mesmo lugar como uma leoa, por animal feroz serão espedaçados e consumidos.
A tua perdição, ó Israel, vem de ti mesmo, só em mim está o teu auxílio.
Onde está, agora, o teu rei, para que te guarde em todas as tuas cidades? E os teus juízes, dos quais disseste: Dá-me rei e príncipes?
Na minha ira lhe dei um rei e, no meu furor, eu o retomo.

(Oséias 13v5-11)


No ano duodécimo de Acaz, rei de Judá, começou a reinar Oséias, filho de Elá, e reinou sobre Israel, em Samaria, nove anos.
E fez o que era mal aos olhos do Senhor; contudo, não como os reis de Israel que foram antes dele.
Contra ele marchou Salmanasar, rei dos assírios, e Oséias ficou sendo seu vassalo e pagava-lhe tributo.
Mas tendo o rei da Assíria descoberto uma conspiração tramada por Oséias, o qual enviara mensageiros a Sua, rei do Egito, e cessara de pagar o tributo anual ao rei da Assíria, tomou-o e o pôs em grilhões numa prisão.
Depois atacou Samaria e assediou-a por três anos.
No ano nono de Oséias, o rei dos assírios tomou Samaria, transportou os israelitas para a Assíria e pô-los em Hala e em Habor, cidades dos medos, perto do rio Gozan.
Assim aconteceu porque os filhos de Israel tinham pecado contra o Senhor, seu Deus, que os tinha tirado do Egito e libertado da opressão do faraó, rei dos egípcios. Eles adoraram outros deuses,
adotaram os costumes das nações que o Senhor tinha expulsado diante dos israelitas e seguiram os costumes estabelecidos pelos reis de Israel.
Os israelitas ofenderam o Senhor, seu Deus, com ações más, e estabeleceram lugares altos em todas as suas localidades, desde a simples torre de guarda até a cidade fortificada.
Fizeram para si estátuas e bosques sagrados, sobre todos os mais altos outeiros e debaixo de todas as árvores frondosas;
ali queimavam incenso sobre os altares, à maneira das gentes que o Senhor tinha levado para longe da sua presença; praticaram ações criminosíssimas, para provocarem à ira o Senhor.
Adorando ídolos, embora o Senhor lhes tivesse dito: “Não fareis tal coisa.”
O Senhor tinha advertido Israel e Judá pela boca de seus profetas e videntes: “Renunciai às vossas más ações; guardai Meus Mandamentos e Minhas Leis; observai toda a Lei que prescrevi a vossos pais e que vos transmiti através de meus servos, os profetas.”
Mas eles não o quiseram ouvir, e endureceram o seu coração, como o tinham feito seus pais, que se tornaram infiéis ao Senhor, seu Deus.
Desprezaram os estatutos dele e a Aliança que ele havia feito com seus antepassados, bem como as advertências que lhes havia feito. Correram atrás de ídolos vazios, e se esvaziaram, imitando as nações vizinhas; apesar de ter-lhes o Senhor proibido seguir as pisadas dos povos que os cercavam.
E deixaram todos os Mandamentos do Senhor, seu Deus, e fizeram imagens de fundição, dois bezerros; e fizeram um ídolo do bosque, e se prostraram perante todo o exército do céu, e serviram a Baal.
Consagraram-lhe seus filhos e suas filhas por meio do fogo, entregaram-se à adivinhação, à bruxaria; enfim abandonaram-se inteiramente a tudo o que desagradava ao Senhor, provocando a ira dele.
Por isso, o Senhor ficou profundamente indignado contra os israelitas e lançou-os para longe de sua face. Só a tribo de Judá subsistiu.
Mas nem mesmo Judá observou os Mandamentos do Senhor, seu Deus, e seguiu os costumes de Israel.
O Senhor rejeitou, pois, toda a linhagem de Israel, humilhou-a e a entregou nas mãos dos saqueadores até que fosse completamente banida de sua presença.
Porque, depois que o Senhor rasgou a Israel da casa de Davi, e eles fizeram rei a Jeroboão, filho de Nebate, Jeroboão apartou a Israel de seguir o Senhor e os fez pecar um grande pecado.
Assim andaram os filhos de Israel em todos os pecados que Jeroboão tinha feito; nunca se apartou deles.
Até o dia em que o Senhor os baniu de sua presença, como tinha anunciado pela boca dos profetas, seus servos. Os israelitas foram, pois, deportados para longe de sua terra, para a Assíria, onde estão atualmente.
O rei dos assírios mandou vir gente de Babilônia, de Cuta, de Ava, de Emat e de Sefarvaim e pô-los nas cidades de Samaria em lugar dos filhos de Israel. Eles possuíram a Samaria e habitaram nas suas cidades.
Mas como eles não prestavam culto ao Senhor, quando começaram a habitar ali, o Senhor mandou leões contra eles que os devoravam.
Avisaram o rei dos assírios, dizendo: “Os povos que tu transferiste e que mandaste habitar nas cidades de Samaria, ignoram o culto do Deus do país, e o Senhor mandou contra eles leões, que os matam, porque não sabem o culto do Deus daquela terra.”
O rei dos assírios ordenou dizendo: “Mandai para Samaria um dos sacerdotes que vós de lá trouxestes cativos, que vá, habite com eles e lhes ensine o culto do Deus daquela terra.”
Tendo, pois, ido um dos sacerdotes que tinham sido levados cativos da Samaria, habitou em Betel e ensinava-lhes o modo como deviam honrar o Senhor.
Apesar disso, cada um destes povos fabricou para si o seu deus e colocaram-nos nos templos dos lugares altos, que os samaritanos tinham edificado, cada povo na sua cidade em que habitava.
Os babilônios fizeram (uma estátua de) Socot-Benot; os de Cuta, uma de Nergal; os de Emat, uma de Asima;
os de Ava, uma de Nebaaz e uma de Tartac; os de Serfarvain queimavam seus filhos em honra de Adramelec e de Anamelec, seus deuses.
Adoravam também o Senhor, mas constituíram sacerdotes para os lugares altos, tirados dentre o povo, os quais oficiavam por eles nos santuários dos lugares altos.
Desse modo, adoravam o Senhor, e ao mesmo tempo prestavam culto aos seus próprios deuses, segundo o costume das nações de onde tinham sido transportados.
Ainda hoje seguem os seus antigos costumes; não temem o Senhor, não observam suas Leis, nem suas ordenações, nem a Lei e os Mandamentos que o Senhor deu aos filhos daquele Jacó, a quem deu o nome de Israel.
O Senhor tinha feito com eles uma Aliança e lhes tinha dado a seguinte ordem: “Não adoreis outros deuses, nem vós prostreis diante deles; não lhes prestareis culto, e não lhes oferecereis sacrifícios.
Mas temei ao Senhor que vos tirou do Egito com poder de seu braço. A ele temereis, diante dele vos prostrareis e a ele oferecereis os vossos sacrifícios.
Obedecereis sempre, e cuidadosamente, os preceitos, os estatutos, a Lei e os Mandamentos que ele vos deu por escrito. Não adoreis outros deuses.
Não vos esquecereis do tratado que fiz convosco; não adoreis outros deuses.
Mas temei ao Senhor vosso Deus e ele vos livrará do poder de todos os vossos inimigos.”
Eles, porém não deram ouvidos, mas procederam segundo o seu antigo costume.
Assim estas nações temiam ao Senhor e serviam as suas imagens de escultura; como fizeram seus pais, assim fazem seus filhos e os filhos de seus filhos, até ao dia de hoje.

(2Reis 17)


Assim aconteceu porque eles não tinham escutado a voz do Senhor, seu Deus, mas tinham quebrado a sua Aliança, recusando-se a ouvir e executar o que ordenara Moisés, servo do Senhor.

(2Reis 18v12)


Porventura, como fiz a Samaria e aos seus ídolos, não o faria igualmente a Jerusalém e aos seus ídolos?

(Isaías 10v11)


Palavra que veio a Jeremias acerca de todo o povo de Judá, no ano quarto de Jeoaquim, filho de Josias, rei de Judá (que é o primeiro ano de Nabucodonosor, rei da Babilônia),
a qual o profeta Jeremias anunciou a todo o povo de Judá, e a todos os habitantes de Jerusalém, dizendo:
“Desde o décimo terceiro ano de Josias, filho de Amom, rei de Judá, até este dia, eis que vinte e três anos são decorridos desde que a Palavra do Senhor me foi dirigida e que vo-la transmiti com assiduidade, sem a terdes, entretanto, escutado.
E o Senhor enviou-vos muito a tempo todos os seus servos profetas; vós não ouvistes nem inclinastes os vossos ouvidos para ouvirdes,
dizendo: Convertei-vos, agora, cada um do seu mau caminho e da maldade das suas ações e habitai na terra que o Senhor vos deu e a vossos pais, de século em século;
não andeis à procura de outros deuses, para ante eles vos prostrardes e lhes renderdes culto; nem me provoqueis à ira com as obras das vossas mãos, e eu não vos afligirei.
Todavia, não me destes ouvidos, diz o Senhor, mas me provocaste à ira com a obra de vossas mãos, para vosso mal.
Portanto, assim diz o Senhor dos Exércitos: Visto que não escutastes as Minhas Palavras,
eis que enviarei e tomarei todos os povos do aquilão, diz o Senhor, e o meu servo Nabucodonosor, rei da Babilônia; e os trarei contra esta terra, contra os seus moradores, contra todas as nações que a cercam, e os matarei, e farei deles um objeto de espanto e de ludíbrio e reduzirei a solidões perduráveis.
Farei cessar entre eles os gritos de júbilo e os gritos de alegria, os cantos do esposo e os cantos da esposa, o ruído da mó e a luz da candeia.
Converter-se-á esta terra em angústia e solidão, e por setenta anos lhe há de perdurar a servidão ao rei da Babilônia.”

(Jeremias 25v1-11)


... veio Nabucodonosor, rei de Babilônia, ele e todo o seu exército contra Jerusalém, pôs-lhe cerco e levantaram trincheiras ao redor dela.
O cerco da cidade durou até o décimo primeiro ano do reinado de Sedecias.
Aos nove dias do quarto mês, quando a cidade se via apertada da fome, nem havia pão para o povo da terra.
Fizeram uma brecha na muralha da cidade, e todos os homens de guerra fugiram de noite pelo caminho da porta que está entre os dois muros, junto do jardim do rei. Entretanto, os caldeus cercavam a cidade. Os fugitivos tomaram o caminho da planície do Jordão,
mas o exército dos caldeus perseguiu o rei e alcançou-o nas planícies de Jericó. Então as tropas de Sedecias o abandonaram e se dispersaram.
O rei foi preso e conduzido a Rebla, diante do rei de Babilônia, o qual pronunciou sentença contra ele.
Matou na presença de Sedecias os seus filhos, vazou-lhes os olhos, prendeu-o com cadeias e levou-o para Babilônia.
No sétimo dia do quinto mês, no décimo nono ano do reinado de Nabucodonosor, Nabuzardã, chefe da guarda e servo do rei de Babilônia, entrou em Jerusalém.

(2Reis 25v1b-8)


Pôs fogo ao Templo do Senhor, ao palácio real, e a todas as casas da cidade, e entregou às chamas as casas dos maiorais.
Todo o exército dos caldeus, que estava com o general, deitou abaixo todas as muralhas que cercavam a cidade de Jerusalém.
E Naburzadã, chefe da guarda, deportou para Babilônia uma parte dos pobres da terra e o que restara da população da cidade, bem como os que já se haviam rendido ao rei de Babilônia e o restante dos artífices.
O chefe da guarda deixou ali alguns homens pobres, como vinhateiros e lavradores.
Quebraram também os caldeus as colunas de bronze do Templo do Senhor, juntamente com os pedestais e o mar de bronze que estava no Templo, levando todo esse metal para Babilônia.
Levaram também os caldeirões, os garfos, os saltérios, as redomas, os grais os vasos de cobre que estavam ao serviço (do Templo).
Os cântaros, os incensadores, os jarros, as bacias, os candelabros, e os grais, as taças, o que havia de ouro e de prata, tudo levou o general do exército.
Quanto às duas colunas, ao mar, aos doze bois de bronze que o sustentavam, e aos pedestais que Salomão mandara fabricar para o Templo do Senhor, difícil seria calcular o valor do bronze de todas esses objetos.
Quanto às colunas, cada uma delas tinha dezoito côvados de alto e cercava-a um cordão de doze côvados; a sua grossura era de quatro dedos, era oca por dentro.
E havia sobre ela um capitel de bronze, e altura do capitel era de cinco côvados, e a rede e as romãs em roda do capitel; e tudo era de bronze; e semelhante a esta era a outra coluna, com as romãs.
As romãs que se viam pendentes eram noventa e seis; eram ao todo cem romãs, cercadas de redes.
O general do exército levou, além disso, Saraias, que era o primeiro sacerdote, Sofonias, que era o segundo, e os três guardas do vestíbulo.

(Jeremias 52v13-24)


... que no próprio edifício do santuário, mandou matar seus jovens, e não poupou o adolescente, nem a donzela, nem o ancião, nem a mulher de cabelos brancos. O Senhor lhe entregou tudo.
Transportou também para a Babilônia todos os vasos da Casa do Senhor, tanto os grandes como os pequenos, os tesouros do Templo, os do rei e dos príncipes.
E queimaram a Casa de Deus, e derribaram os muros de Jerusalém, e todos os seus palácios queimaram, destruindo também todos os seus preciosos objetos.
Nabucodonosor deportou para Babilônia todos os que tinham escapado à espada, e eles se tornaram seus escravos, dele e de seus filhos, até o advento do domínio persa.

(2Crônicas 36v17b-20)


Da cidade ele prendeu um funcionário do palácio que comandava alguns soldados, sete homens do serviço pessoal do rei, que ainda se achavam na cidade, o exército-chefe que alistava os cidadãos no exército e ainda sessenta proprietários de terra que foram encontrados dentro da cidade.
Naburzadã, chefe da guarda, aprisionou-os e mandou-os em Rebla. Ante o rei de Babilônia.
E este mandou executá-los em Rebla, na região de Emat. E assim Judá foi deportado para longe de sua terra.

(Jeremias 52v25-27)


Nabuzardã, chefe da guarda, deportou para a Babilônia o que restava da população da cidade, os que já se tinham rendido ao rei da Babilônia e todo o povo que restava.
O chefe da guarda só deixou ali alguns pobres como viticultores e agricultores.

(2Reis 25v11-12)


Este era o povo que Nabucodonosor levou cativo no sétimo ano: três mil e vinte e três judeus.
No décimo oitavo ano de Nabucodonosor, oitocentas e trinta e duas pessoas foram deportadas de Jerusalém.
No vigésimo terceiro ano de Nabucodonosor, Nabuzardã, chefe dos guardas, deportou de Judá setecentas e quarenta e cinco pessoas. Ao todo quatro mil e seiscentas pessoas.

(Jeremias 52v28-30)


... Arrasaram sua terra, incendiaram suas cidades, deixando-as desabitadas.

(Jeremias 2v15b)


Deu o Senhor o cumprimento ao seu furor, derramou a ira da sua indignação, e ateou fogo em Sião, o qual devorou os seus fundamentos.
Nunca acreditaram os reis da Terra, nem todos os moradores do mundo, que entraria o inimigo e o adversário pelas portas de Jerusalém.

(Lamentações 4v11-12) Jeremias


Não te aconteceu tudo isso por haveres abandonado o Senhor teu Deus, quando te guiava pelo caminho?

(Jeremias 2v17)


Ao Senhor dos Exércitos, a ele santificai; e seja ele o vosso temor, e seja ele o vosso assombro.
E será para vós motivo de santificação, ao passo que servirá de pedra de tropeço, e de pedra de escândalo às duas casas de Israel; de laço e de ruína aos habitantes de Jerusalém.
Muitos dentre eles vacilarão, cairão e serão despedaçados; serão presos ao laço e apanhados na armadilha.
Liga o testemunho e sela a Lei entre os meus discípulos.

(Isaías 8v13-16)


Prestaram culto aos seus ídolos, que se tornaram um laço para eles.

(Salmos (105)106v36)


E isto vos servirá de sinal, diz o Senhor, de que eu vos hei de castigar neste lugar, para que saibais que verdadeiramente se cumprirão contra vós as Minhas Palavras para vosso castigo.

(Jeremias 44v29)


Quando virdes, pois, que Jerusalém é sitiada por exércitos, então sabei que está próxima a sua desolação.
Os que então se acharem na Judéia fujam para os montes; os que estiverem dentro da cidade retirem-se; os que estiverem nos campos não entrem na cidade.
Pois esses dias serão de vingança, a fim de se cumprir tudo quanto está escrito.

(Lucas 21v20-22) Jesus



Jesus não é Reconhecido por Nós >>
Menu
Menu Principal

^